Notícia

Expedições urbanas: o olhar do pedestre no centro de Jundiaí

Em três percursos diferentes, ao longo de duas horas cada, o projeto Urbanismo Caminhável promoveu, na noite dessa sexta-feira (22), na manhã de sábado (23) e na tarde de segunda-feira (25), as chamadas “expedições urbanas”, que levaram técnicos e moradores a uma forma especial de olhar o centro histórico de Jundiaí na perspectiva dos pedestres. O projeto, implementado pela Prefeitura de Jundiaí em contrapartida de Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) organizado pela Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente, traz uma metodologia chamada de “índice de caminhabilidade” e também deve testar intervenções de melhoria.

“As experiências são bem diferenciadas e didáticas. A análise de um trajeto pela região central durante a noite, por exemplo, foi algo novo e enriquecedor para os participantes”, explicou o coordenador de Projetos Urbanos, Décio Luiz Pinheiro Pradella. Os percursos tiveram tarefas distribuídas entre os participantes, que acrescentaram observações de moradores ao trabalho técnico em andamento, em seis campos principais.

1- A óbvia qualidade das calçadas (largura, inclinação, pavimento e obstáculos);

2- O mobiliário urbano e espaço público (conforto de bancos, sombras e iluminação, serviços como lixeiras, orelhões e pontos de ônibus, comércio de rua, bancas, praças ou arte de rua);

3- As travessias (sinalização para pedestres, tempo e som de semáforos, acesso e desenho de trajetos na travessia, segurança de visão e de rampas).

4- A sinalização (placas de ruas ao nível do pedestre, apontamento de lugares turísticos, prédios de interesse ou serviços como hospitais e escolas, indicação de conexão com mobilidade de ônibus, táxi ou outros);

5- Edificações (edifícios de interesse turístico e cultural, arquitetura de destaque, lugares criativos e inusitados, comércio diversificado, cuidado com fachadas e se são “ativas”, trechos abandonados);

6- Sensações (conforto e segurança ao andar no percurso, ruídos ou cheiros percebidos no caminho, interesse despertado por coisas novas que nunca havia percebido, presença e interação de pessoas pelo caminho).

No final do percurso, os participantes fizeram uma avaliação de cada campo na escala de 1 a 6 e iniciaram uma pequena oficina de propostas para melhorar a caminhabilidade nesses itinerários.

Conheça os percursos iniciais do levantamento

O percurso 1 sai da praça e segue pela rua Barão de Jundiaí, rua São Bento, rua Rangel Pestana, calçadão da rua São José, rua Bar
COMPARTILHAR